LINHA DO TEMPO: cronologia da teoria da genealogia de Adão aplicada nas eras pré e pós-diluviana

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

  Livro: O DILÚVIO – Na cronologia da realidade sócio-histórica pré e pós-diluviana interpretada pela cronologia da teoria da genealogia de Adão – LINHA DO TEMPO: (Art. 18, Cap. IV, p. 74-76) www.tribodossantos.com.br

         No livro O DILÚVIO, apresentamos a teoria da genealogia de Adão aplicada em três distintos quadros, todos na forma de LINHA DO TEMPO.

          No primeiro quadro, apresentamos a referida teoria aplicada na ordem cronológica da era pré-diluviana. Era esta que subdividimos em duas sucessivas fases marcadas em anos: 1. Fase expansiva do Grande Mercado; 2. Fase regressiva do Grande Mercado.

          No segundo quadro, focalizaremos a teoria da genealogia de Adão aplicada, a partir do início do “dilúvio”, no período da ordem cronológica pré-diluviana marcada em dias no lugar de anos. Pois, conforme demonstramos no Art. 15 referente ao livro O Dilúvio, o autor da teoria da genealogia de Adão trata, em número de dias (cf. Gn 7,11s; 8, 1-13), determinado período e respectivas datas [ano 600 da vida de Adão (= 1783 ou 1674) até ao ano 601 (1782 ou 1673)] da ordem cronológica.[1] Em razão disto, tratamos à parte a exposição desse procedimento, em linha do tempo. Tal procedimento consiste, parece-nos, num recurso metodológico (simbólico) empregado para codificar, hermeticamente, determinados períodos e respectivas “datas” (momentos) e a concernente realidade sócio-histórica. Períodos e datas essas que o autor quis, desse modo hermético, focalizar com destaque: o “dilúvio”  (= II Período Intermediário) entendido como fase de passagem ou transposição da era pré-diluviana para a era pós-diluviana. Assim, apresentamos, à parte, na forma de linha do tempo, o trecho da genealogia de Adão, que emprega a noção de dia no lugar de ano, para codificar a mensagem. O período conturbado rotulado “dilúvio” na teoria da genealogia de Adão corresponde, entre os egiptólogos, ao II Período Intermediário do Antigo Egito, e ao término da Idade do Bronze Médio.

          No terceiro quadro, focalizamos a teoria da genealogia de Adão aplicada na ordem cronológica da era pós-diluviana, a qual ainda vigora. Era esta que subdividimos em duas sucessivas fases marcadas em anos: 1. Fase expansiva do Grande Mercado; 2. Fase depressiva do Grande Mercado. Neste terceiro quadro, mostramos a grande “Besta” Mercado Global contemporâneo havendo chegado, nas décadas 70-80 do século passado, ao seu limite de expansão e complexidade. Assim, ela engendrou, naquelas décadas, o início da fase depressiva (do Grande Mercado Global) chamada Noé, e também o início do período de hegemonia do “sistema financeiro autônomo e unificado globalmente” (a “Imagem da Besta”: cf. Ap 14, 15-17). É oportuno observarmos, na teoria da genealogia de Adão, que a fase Noé de regressão do Grande Mercado Global prenuncia a emergência do Escolhido, e desemboca no “dilúvio”. (cf. Ap 14, 1-5, 14-20). Ou seja, desemboca numa convulsão social grave, prolongada e generalizada globalmente, acompanhada de catástrofes ecológicas. (cf. Ap 16, 1+; 18-19)

[1] Cf. Art. 15. Dias representando anos no processo diluviano: passagem da era pré para a pós-diluviana. (Art. 15, Cap. III, 1.;2.;3.;4.;5.;6.;7., p. 53-64): http://tribodossantos.blogspot.com.br/2013/10/dias-representando-anos-no-processo.html